Arte popular e Street Art

Amor platônico

Quando o moço bonito
passava pela minha janela
meu coração acelerava

Esperava, ansiosa,
uma olhadela, um sorriso
Doce paixão juvenil
a pintar sorrisos no meu rosto

A janela mudou de lugar
agora pisca à minha frente
iluminada e colorida

Mas ainda acelera o coração
à espera ansiosa de atenção
para pôr sorrisos no meu rosto

A escolha da imagem

Namoradeiras, esculturas populares da cidade de Tiradentes, Minas Gerais

Logo que li o poema pensei nessas esculturas de negras na janela à espiar os moços bonitos, como faziam as personagens da literatura do século 19, como fez Aurélia, do Senhora de José de Alencar. Era o jeito de flertar da época. Assim, sem sair de casa, as moças direitas poderiam ficar à disposição dos galanteios e, quem sabe, fazer casamento.

Pois essas as peças artesanais, chamadas de Namoradeira, viraram um símbolo da cidade de Tiradentes, em Minas Gerais. Elas enfeitam o casario histórico sempre nessa mesma posição, com a cabeça apoiada na mão, essa posição de espera e charme para os passantes. Feitas de madeira, cerâmica ou gesso, essa arte popular mineira vem ganhando as janelas do país. Com vestidos decotados, maquiagem e bijuterias, as moças colocam a roupa de domingo a espera de seus pretendentes, com olhar de sonho, à espera de uma paixão ou de ver mais uma vez passar o objeto de seu amor platônico [F.S.]

Padrão

Um comentário sobre “Amor platônico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.