Voragem

Por: Gisele Neuls

ago 30 2012

Tags:

Categoria: Friedensreich Hundertwasser

5 Comentários

são horas e horas de pensamentos tortos
se perdem na voragem dos poréns e senãos
desses que todos os dias se acumulam
e nos esvaziam

mastigo cada um deles por mais uma dúzia de horas insanas
e chego ao esplêndido fastio daquilo que não resolveremos
deglutido em pedacinhos açucarados de cotidiano

a busca das palavras cheias de significados só meus
e que precisam de outros tantos substantivos, adjetivos, conjunções,
e que ademais não dão substância alguma aos pensamentos
me escraviza

com a crueldade dos vícios
mais doces e, por isso mesmo,
mais violentos

A escolha da imagem

Le je ne sais pas encore La Picaudière, Friedensreich Hundertwasser, 1960, KunstHausWien, Vienne

Os espirais de austríaco Friedensreich Hundertwasser são para mim uma representação dos pensamentos, esses pensamentos que giram na mente, coloridos como são as ideias que se conectam e se desconetam nesse labirinto que não pode ser traduzido somente em palavras.

No site do artista, está escrito que “os espirais são o símbolo da vida e da morte”, que nos movemos em círculos mas que eles não são fechados. Assim são os pensamentos que também nos definem como vivos ou mortos – cogito ergo sum – já dizia Descartes com o seu penso, logo existo.

Esse espirais representam também o processo de criação poética, dar forma através de “substantivos, adjetivos, conjunções” a esse labirinto de ideias que se explodem em cores no cérebro mas que precisam de um começo e um fim.

Hundertwasser, além de pintor, também foi arquiteto e militante ecologista. O humano e seu ambiente foi o centro de suas obras. A escolha desse espiral entre tantos que ele criou se dá devido ao nome, numa tradução livre: “O eu não o sei ainda”. Como são os pensamentos tortos, como é o processo de criação artística e poética, mas em meio a esse confuso labirinto, um espiral sempre tem um curso. [F.S.]

> saiba mais sobre o artista

P.S.: Para ler esse poema do jeito certo, leia as linhas que contêm apenas uma palavra como parte da linha de cima. O template não é muito amigável com frases longas e ‘quebrou’ o ritmo de alguns versos. Por exemplo, no verso “mastigo cada um deles por mais uma dúzia de horas insanas” é um só, apesar da última palavra estar na linha de baixo ;) [G.N]

Anúncios

5 comentários em “Voragem”

  1. Maravilhoso! Parabéns meninas…

  2. Gostei, vou compartilhar e espalhar estas ideias e autorias por ai!!

  3. Lindas palavras, muito bom de ler e seguir pensando. Adorei!! Voltarei mais e mais vezes :))) Obrigada

  4. Ficamos muito, muito felizes com a interação! Não deixem de postar seus comentários, eles nos ajudam a calibrar a experiência ;)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: